Literatura CNEC

Fórum destinado à discussão de obras literárias. O objetivo deste fórum, além disso, é substituir a avaliação tradicional, e fomentar reflexões mais profundas.
 
InícioInício  CalendárioCalendário  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-se  

Compartilhe | 
 

 Fatalidade

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : 1, 2  Seguinte
AutorMensagem
Flávio Machado
Admin
avatar

Mensagens : 86
Data de inscrição : 10/11/2014
Idade : 28

MensagemAssunto: Fatalidade   Seg Nov 17, 2014 4:56 pm

Citação :
Foi o caso que um homenzinho, recém-aparecido na cidade, veio à casa do meu amigo, por questão de vida e morte, pedir providências. Meu amigo sendo de vasto saber e pensar, poeta, professor, ex-sargento de cavalaria e delegado de polícia. Por tudo, talvez, costumava afirmar: — "A vida de um ser humano, entre outros seres humanos, é impossível. O que vemos, é apenas milagre; salvo melhor raciocínio". Meu amigo sendo fatalista.

Faça um pequeno resumo do conto, buscando relacionar o título ao fato do amigo ser considerado "fatalista".
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://literaturacnec.forumbrasil.net
Bruno Peixoto

avatar

Mensagens : 7
Data de inscrição : 17/11/2014

MensagemAssunto: Re: Fatalidade   Seg Nov 17, 2014 5:29 pm

Zé Centeralfe e sua esposa eram perseguidos por um valentão e bandido chamado Herculinão, pois ele queria roubar a esposa de Zé Centeralfe. O casal para não causar problemas com ele muda de cidade, à procura da ajuda pela justiça dos Homens, vai atras do amigo do personagem, que era delegado da cidade, mas o delegado induz Zé Centeralfe a fazer justiça com as próprias mãos, que assim que saem da casa do delegado, encontram com Herculinão, que é assassinado com um tiro no peito e outro na cabeça. Então o amigo é sempre considerado ''fatalista'' pois faz justiça com as próprias mãos e induz outras pessoas a fazer o mesmo.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Fernanda Andrade



Mensagens : 7
Data de inscrição : 12/11/2014

MensagemAssunto: Re: Fatalidade   Seg Nov 17, 2014 7:03 pm

Zé Centeralfe mudou com a sua mulher do arraial do Pai- do- padre, para fugir de Herculinão que vinha se engraçando com sua mulher, já que não se fazia justiça naquele lugar. Seguiram para o Arraial do Amparo e não demorou para o homem aparecer por lá, e então novamente partiram, desta vez para a cidade. Zé foi a procura do delegado (no conto é identificado pelo narrador como “meu amigo”), em busca da lei. O delegado era muito fatalista, o próprio narrador evidencia isso nas frases proferidas pelo seu amigo: “Só quem entendia de tudo eram os gregos. A vida tem poucas possibilidades.” “Mas a necessidade tem mãos de bronze.” E com esse seu jeito fatalista aconselhou Zé Centeralfe, a usar a arma para resolver as coisas com Herculinão. Depois de entender o recado, Zé sai todo confiante. Herculinão acaba sendo morto por três tiros.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Felipe Arruda



Mensagens : 7
Data de inscrição : 11/11/2014

MensagemAssunto: Re: Fatalidade   Seg Nov 17, 2014 8:45 pm

Zé Centeralfe era casado, sem filhos e morador do arraial do Pai-do-Padre. Vivia bem com a mulher. Porém, certa vez apareceu um desordeiro, chamado Herculinão, que tinha um olhar quente para mulher dele. Seguia-a para em todo lugar, bastava ela sair de casa que Herculinão já a seguia. Zé Centeralfe e sua mulher decidem se mudar para se “livrar” de Herculinão mas o plano foi em vão, pois o homem seguia-a, então o homem mudou para onde o casal havia mudado. Foi assim em diversos lugares para onde o casal se mudava. Zé Centeralfe procura o amigo e delegado em busca de ajuda. O delegado após ouvir a história vê uma alternativa que é matar o Herculinão, a fatalidade. Então assim foi feito. O desenvolvimento dos fatos é feito sem a confirmação com Herculinão. Apesar do olhar quente e a perseguição a mulher de Zé Centeralfe, a história gera uma dúvida em relação a fidelidade da mulher.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Nybia Lohanny

avatar

Mensagens : 7
Data de inscrição : 11/11/2014

MensagemAssunto: Re: Fatalidade   Seg Nov 17, 2014 9:06 pm

Conta a história de Zé Centeralfe, que vive triste, pois sua esposa desonrosamente está sendo cortejada por um criminoso, Herculinão. O casal, para evitar problemas, mudou-se do Pai-do-Padre para Amparo. Mas o bandido continua os seguindo. Mudam-se então para a cidade, onde deveria haver lei, ordem, segurança, mas continuam sendo seguidos. É por isso que o homem vai pedir ajuda ao delegado. A intenção é obter o apoio da justiça. No entanto, Zé Centeralfe é induzido a outro tipo de moral. É a justiça pelas próprias mãos, pois o delegado convence Centeralfe, apenas com o olhar, a pegar as armas, a fatalidade. Assim que saem, encontram Herculinão, que é assassinado com um tiro no peito e outro na cabeça.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Bárbara Machado



Mensagens : 7
Data de inscrição : 12/11/2014

MensagemAssunto: Re: Fatalidade   Seg Nov 17, 2014 10:00 pm

O delegado - nomeado como Meu Amigo - certa vez recebe a visita de um caipira que alega estar sendo perseguido por um valentão, Herculinão, que também mira olhares tendenciosos à sua esposa. O caipira, Zé Centeralfe, diz já ter feito de tudo para afastar o desordeiro, inclusive ter se mudado pra cidade, mas nada teve efeito. O delegado então, alisa algumas armas e sutilmente propõe um "fatalidade" do destino. Por fatalidade, ou não, Herculinão cai morto com dois tiros. O conto traz a temática de que nada é coincidência, não existe portanto fatalidades, mas tudo é resultado da causa-e-efeito (karma). Tematiza também a violência do coronelismo existente no sertão.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Michelly Arruda



Mensagens : 7
Data de inscrição : 10/11/2014

MensagemAssunto: Re: Fatalidade   Ter Nov 18, 2014 2:23 pm

Zé Centeralfe era casado e morava no arraial do Pai-do-Padre, no qual viviam bem. Até aparecer Herculinão, que não tirava os olhos da sua esposa, não podendo nem sair de casa. Assim, decidiram se mudar, mas nada adiantou. Mas com a ajuda do amigo"delegado" que depois de saber da história, mostrava umas pistolas e espingardas. Dando o incentivo de resolver o problema, cometendo certa fatalidade . Por fim Herculinão morre com uma das balas,que foi atiradas, no coração.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
lucas carvalho cardoso



Mensagens : 7
Data de inscrição : 11/11/2014

MensagemAssunto: Re: Fatalidade   Ter Nov 18, 2014 2:59 pm

Zé Centeralfe levava uma boa vida ao lado de sua mulher porem, apareceu um homem chamado Herculinão que lançava olhares quentes para sua esposa que nem mais podia sair de casa . Não havendo outro meio eles se mudaram, mas não adiantou, pois o homem os seguiu. Assim ele foi buscar ajuda de seu amigo para resolver seu problema. Ao sair da casa de seu amigo eles viram o Hercilinão e fatalmente seu amigo deu dois tiros nele matando o Herculino.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Iago Araujo



Mensagens : 7
Data de inscrição : 18/11/2014

MensagemAssunto: Re: Fatalidade   Ter Nov 18, 2014 3:17 pm

Trata-se da história de Zé Centeralfe, que vive tristemente, pois sua esposa desonrosamente está sendo cortejada por Herculinão. O casal, para evitar problemas, mudou-se do Pai-do-Padre para Amparo. Mas o bandido segue-os. Mudam-se então para a cidade, onde deveria haver lei, ordem, segurança, mas continuam sendo seguidos. É por isso que o pobre homem vai pedir ajuda ao delegado, chamado de Meu Amigo. A intenção é obter o apoio da justiça dos homens. No entanto, Zé Centeralfe é induzido a outro tipo de moral. Aparentemente, é a justiça pelas próprias mãos, pois o delegado convence Centeralfe, apenas com o olhar, a pegar as armas. Assim que saem, encontram Herculinão, que é assassinado com um tiro no peito e outro na cabeça.
Em Fatalidade, aprende-se a viver, não debaixo da lei do determinismo de um destino alheio e estranho aos reclamos do coração, mas sob a graça da liberdade de transformar a não punidade em uma sentença fatal.
O conto contrapõe o poder da autoridade ao poder do homem comum, submetido às leis e tematiza, em última instância, a violência arbitrária existente no sertão. Justificando o título então, pois assume um caráter de fatalidade.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Milena Vargas



Mensagens : 7
Data de inscrição : 18/11/2014

MensagemAssunto: Re: Fatalidade   Ter Nov 18, 2014 4:48 pm

Zé Centeralfe morava com sua esposa no arraial do Pai-do-Padre. Até que apareceu o Herculinão, um homem que sempre olhava torto para sua mulher. Querendo acabar com isso, eles se mudam do Pai-do-Padre. Mas, continuam sendo seguidos pelo Herculinão. Assim, o homem busca ajuda, com o delegado, que sabia muito bem como usar uma arma. o Delegado depois de saber da história, diz que vai resolver o problema, e mostra uma espingarda e uma pistola. Logo, ele cometeria uma fatalidade. E Herculinão morre com uma bala no coração.


Última edição por Milena Vargas em Qui Nov 20, 2014 9:01 pm, editado 2 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Cecilia Lopes

avatar

Mensagens : 7
Data de inscrição : 11/11/2014

MensagemAssunto: Re: Fatalidade   Ter Nov 18, 2014 5:11 pm

Um casal muda pra cidade e lá sao perceguidos por todos os lugares por seu vizinho que se interessou pela mulher.O marido já cansado daquilo resolve dar um fim nele. O delegado da um tiro no peito e mata fatalmente o vizinho , porem essa não seria uma boa qualidade atribuida a essa ação, pois de certa forma eles vao até o homem com o intuito de fazer com que ele deixase de dar em cima de sua mulher.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Milene G



Mensagens : 7
Data de inscrição : 12/11/2014

MensagemAssunto: Re: Fatalidade   Ter Nov 18, 2014 5:17 pm

A mulher de Zé Centeralfe estava sendo observada por Herculinão. O marido, enciumado, procura o delegado da cidade pacata para relatar a suspeita de uma perseguição, já que o casal tentou de várias formas afastar o desordeiro, como mudando de cidade. Porém de nada adiantou. Herculinão continuava a seguir o casal. Com isso, o delegado retira as armas e garante ao Zé que iria resolver o problema, e por fatalidade, Herculinão aparece exatamente no momento em que o delegado e o marido estavam juntos, e acaba morrendo com uma bala no coração. Logo, fatalidade no conto, não está relacionada somente com a morte, mas também na maneira como ela ocorreu, como se o universo conspirasse para o acontecimento.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Ingrid Nataly Tavares



Mensagens : 7
Data de inscrição : 11/11/2014

MensagemAssunto: Re: Fatalidade   Ter Nov 18, 2014 11:45 pm

Zé Centeralfe e sua mulher viviam tranquilos no arraial do Pai-do-Padre, ate que  vizinho desordeiro Herculinao olha com malícia pra mulher de Zé, ele irritado com a situação muda-se com a mulher, Herculinao segue o casal e continua a  atentar a mulher, Zé e a mulher mudam-se novemente e novamente Herculinao vai atrás do casal. Zé furioso com a insistência do desordeiro procura um amigo delegada para ajudá-lo a por um fim nessa desordem, o amigo propôs uma "fatalidade", fazer justiça com as proprias mãos, Zé não tendo outra opção aceita a proposta do amigo que ja arruma a arma. Herculinao por coincidência ou nao, na hora certa e no lugar certo morre a tiros. Uma "fatalidade" como consequência de sua insistência.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Thaís Pereira Andrade

avatar

Mensagens : 7
Data de inscrição : 13/11/2014
Localização : Minas

MensagemAssunto: Re: Fatalidade   Qua Nov 19, 2014 11:33 am

Zé Centeralfe tem sua esposa cortejada por Herculinão. O casal, para evitar problemas, resolveu mudar mas o bandido segue-os. O pobre homem resolve pedir ajuda ao delegado com a intenção de obter apoio, no entanto, Zé Centeralfe é induzido a outro tipo de moral. Aparentemente, é a justiça pelas próprias mãos, pois o delegado convence Centeralfe a pegar as armas. Assim que saem, encontram Herculinão, que é assassinado com um tiro no peito e outro na cabeça.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Letícia Evelyn



Mensagens : 7
Data de inscrição : 19/11/2014

MensagemAssunto: Re: Fatalidade   Qua Nov 19, 2014 3:12 pm

Zé Centeralfe e sua esposa moravam no arraial Pai-do-Padre. Seu vizinho, Herculinão, se interessou pela mulher. O marido ficou muito enciumado, e tentou de várias formas afastar Herculinão de sua mulher, mas foi tudo em vão, porque ele sempre seguia o casal para onde quer que fosse, até quando se mudaram, foram seguidos. Então Zé Centeralfe pede a ajuda do delegado, para que possa dar um fim nessa situação. O delegado que tinha muita habilidade com armas, aceitou ajudá-lo. Herculinão aparece no momento em que Zé e o delegado estão juntos, assim ele morre fatalmente com uma bala no peito.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Deborah Fonseca



Mensagens : 7
Data de inscrição : 13/11/2014

MensagemAssunto: Re: Fatalidade   Qua Nov 19, 2014 4:28 pm

Zé Centeralfe e sua mulher estavam sendo perseguidos por um homem chamado Herculinão. Ele não tirava os olhos de sua mulher e por isso resolvem se mudar, para evitar problemas, mas não demora muito o bandido também se muda para perto deles de novo. Eles se mudam novamente, mas desta vez para a cidade. Zé Centeralfe procura um amigo que é delegado, para resolver seu problema com a justiça dos homens, mas esse delegado que é considerado muito fatalista o convence a fazer justiça com as próprias mãos. Por fim, Herculinão é morto com dois tiros.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Mylena Toledo



Mensagens : 7
Data de inscrição : 17/11/2014

MensagemAssunto: Re: Fatalidade   Qua Nov 19, 2014 5:49 pm

Zé Centeralfe morava com sua esposa no arraial Pai-do-Padre. Após seu vizinho Herculinão se interessar por sua esposa, ele passa a perseguir os dois, mesmo quando eles mudam para a cidade. Zé Centeralfe resolve então pedir ajuda ao delegado. Aparentemente a intenção de Zé Centeralfe era ter apoio da justiça, mas o delegado o induz a fazer justiça com as próprias mãos. Assim que os dois saem, encontram Herculinão, que é assassinado a tiros.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Pedro Ramiro



Mensagens : 7
Data de inscrição : 19/11/2014

MensagemAssunto: Re: Fatalidade   Qua Nov 19, 2014 6:07 pm

O conto trata-se de um casal que vivia feliz em uma pacata cidade do interior. O marido, era um homem de bem com a vida, era feliz. Mas a história mudou após da chegada de um homem chamado Herculinão à cidade.
O marido acusava Herculinão de tentar "roubar" sua esposa. Não conseguindo encontrar nenhuma solução para isso, ele se vê tendo que mudar-se com sua esposa. Mas para sua infelicidade, Herculinão muda-se junto com o casal, o que causa bastante espanto de indignação por parte do marido.
Não tendo alternativa, o marido, pede ajuda a um homem, pistoleiro e assassino. O homem não hesita e mata Herculinão.
O conto tem esse nome, "Fatalidade", devido ao fato de um homem desconhecido chegar na cidade e "acabar" com a vida de um casal, que era muito feliz. E todos esses fatos ocasionam a morte de Herculinão.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Francielly Eduarda

avatar

Mensagens : 7
Data de inscrição : 11/11/2014

MensagemAssunto: Fatalidade   Qua Nov 19, 2014 7:53 pm

Zé Centeralfe e sua esposa vão para a cidade no intuito de se afastarem - se de Herculinão , um vizinho do casal que estava a perseguir a esposa de Centeralfe . Porem nada adianta a mudança, já que o moço também se muda para a cidade voltando a perseguir a mulher . Com essa afronta Zé Centeralfe vai em busca de ajuda procurando o delegado daquela cidade , o qual se propõe a ajudar aquele homem desesperado . Com isso o delegado o empresta uma de suas arma , e como a maioria das pessoas pensam que deve fazer justiça com as próprias mãos com Centeralfe não foi diferente , pegou a arma , e saindo da delegacia bate de cara com o tal vizinho e pensando que tudo aquilo poderia acabar naquele momento , Centeralfe não pensa duas vezes e assassina Herculinão friamente .
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Izabella Zaidan



Mensagens : 7
Data de inscrição : 19/11/2014

MensagemAssunto: Re: Fatalidade   Qua Nov 19, 2014 8:26 pm

Zé Centeralfe tem sua esposa sendo desejada por Herculinão. O casal, para evitar problemas, muda-se para outra cidade onde haja mais segurança, mas o bandido continua os perseguindo. É por isso que Zé vai pedir ajuda ao delegado, chamado pelo narrador de “Meu Amigo”. A intenção é obter o apoio da justiça dos homens, mas e induzido a outro tipo de justiça. Aparentemente, é a justiça pelas próprias mãos, que por fatalidade, ou não, Herculinão e morto com dois tiros.
Nada ocorre sendo uma fatalidade tudo e resultado de causa e efeito,Karma. ("Se o destino são componentes consecutivas - além das circunstâncias gerais de pessoa, tempo e lugar, e o karma")
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Laura Assis



Mensagens : 7
Data de inscrição : 11/11/2014

MensagemAssunto: Re: Fatalidade   Qua Nov 19, 2014 8:47 pm

Zé Centeralfe e sua mulher moravam em um pacato arraial. Até que seu vizinho Herculinão, começou a olhar para sua mulher. Zé Centeralfe fica com ciúmes e tenta de todas as formas possíveis de manter a mulher longe de Herculinão, mas nada funcionava porque aonde ele ia Herculinão ia também. Então Ze Centeralfe pede ajuda ao seu amigo delegado, para que ele acabe com isso. O delegado que era bom em armas ajuda ele. A fatalidade acontece porque ele herculinão chega na hora e acaba levando um tiro no peito.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
vitoria rocha



Mensagens : 5
Data de inscrição : 17/11/2014

MensagemAssunto: Re: Fatalidade   Qui Nov 20, 2014 1:46 pm

Trata-se da história de Zé Centeralfe, que vive acochado, pois sua esposa desonrosamente está sendo cortejada por um facínora, Herculinão. O casal, para evitar problemas, mudou-se do Pai-do-Padre para Amparo. Mas o bandido segue-os. Mudam-se então para a cidade, onde deveria haver lei, ordem, segurança, mas continuam sendo seguidos. É por isso que o pobre homem vai pedir ajuda ao delegado, chamado pelo narrador de Meu Amigo. A intenção é obter o apoio da justiça dos homens. No entanto, Zé Centeralfe é induzido a outro tipo de moral. Aparentemente, é a justiça pelas próprias mãos, pois o delegado convence Centeralfe, apenas com o olhar, a pegar as armas. Assim que saem, encontram Herculinão, que é assassinado com um tiro no peito (coração) e outro na cabeça (mente).
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Sabrina Sousa



Mensagens : 7
Data de inscrição : 16/11/2014

MensagemAssunto: Re: Fatalidade   Qui Nov 20, 2014 2:24 pm

Trata-se da história de Zé Centeralfe e sua esposa que moravam no arraial do Pai-do-Padre. Seu vizinho chamado Herculinão, tinha um olhar quente para mulher dele, seguia-a para todo lugar. Zé Centeralfe notando a situação ficou muito incomodado, assim ele e a mulher decidem se mudar para afastarem de Herculinão, porém o plano foi em vão, pois o homem seguia-a para qualquer lugar que fosse, mudando-se para onde o casal havia mudado. Zé Centeralfe então, procura o delegado em busca de ajuda. O delegado após ouvir a história vê uma alternativa que é matar o Herculinão. Assim o delegado mata fatalmente Herculinão com duas balas no peito.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Kennedy Oliveira



Mensagens : 7
Data de inscrição : 17/11/2014

MensagemAssunto: Re: Fatalidade   Qui Nov 20, 2014 2:26 pm

Conta a história de Zé Centeralfe, que vive triste, pois sua esposa está sendo cortejada por Herculinão. O casal resolve então mudar-se para Amparo, para evitar problemas. Mas o bandido os segue, novamente o casal se muda, desta vez para a cidade, em busca de segurança, mas mesmo assim continuam sendo seguidos, Zé vai procurar ajuda com o delegado, que o induz para o caminho do mal, e apenas com o olhar o convence a pegar as armas, e assim quando saem, encontram Herculinão que acaba sendo assasinado.

Este conto tematiza ideias como: Destino e Karma e sua inevitabilidade. é o que indica seu título
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Letícia Mendes Fagundes



Mensagens : 7
Data de inscrição : 19/11/2014

MensagemAssunto: Re: Fatalidade   Qui Nov 20, 2014 3:04 pm

Zé Centeralfe teve que se mudar com sua esposa de Pai-Do-Padre, pois um homem, Herculinão estava desejando sua esposa. Ele Herculinão seguia e esposa de Zé por toda parte, então a única opção para fugir dele era se mudarem, mas não deu certo, pois ele seguiu eles e mudou para onde eles haviam fugido. Zé foi então, em busca de um delegado, ele contou a historia sobre a perseguição de Herculinão e que ele ficava de olho na esposa dele. O delegado era fatalista então após ouvir a historia de Zé deu a ele uma única solução que seria matar o Herculinão. Assim foi feito, Zé Centeralfe matou ele com três tiros.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Fatalidade   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Fatalidade
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 2Ir à página : 1, 2  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Literatura CNEC :: Primeiras Estórias (Guimarães Rosa)-
Ir para: