Literatura CNEC

Fórum destinado à discussão de obras literárias. O objetivo deste fórum, além disso, é substituir a avaliação tradicional, e fomentar reflexões mais profundas.
 
InícioInício  CalendárioCalendário  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-se  

Compartilhe | 
 

 Pirlimpsiquice

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : 1, 2  Seguinte
AutorMensagem
Flávio Machado
Admin
avatar

Mensagens : 86
Data de inscrição : 10/11/2014
Idade : 28

MensagemAssunto: Pirlimpsiquice   Qui Nov 20, 2014 11:35 am

Passado em um colégio interno, o conto Pirlimpsiquice, de Guimarães Rosa, presente em Primeiras Estórias, apresenta um narrador que relembra nostalgicamente a ocasião em que foram selecionados vários alunos para a encenação de uma peça de teatro. Os alunos, porém, deveriam guardar segredo quanto ao enredo da peça, para assegurar a surpresa dos que a veriam. Para manter o segredo resolvem inventar uma nova história para contar aos alunos que lhes perguntassem o enredo da peça.
Explique o desfecho do conto.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://literaturacnec.forumbrasil.net
lucas carvalho cardoso



Mensagens : 7
Data de inscrição : 11/11/2014

MensagemAssunto: Re: Pirlimpsiquice   Qui Nov 20, 2014 2:21 pm

Quando chegou o dia da apresentação o pai do Ataualpa ficou doente e ele precisou viajar assim quem teve que interpretar o papel principal foi o Excelsior. Porem, após ele declarar a frase inicial, a cortina não abria e a platéia começou a vaiar e a gritar o nome do Zé Boné que pulou para frente do pano e começou a encenar a historia que eles haviam inventado para não revelar a verdadeira historia, assim todos o imitaram e começaram a encenar.Mas a historia não tinha inicio nem fim e para por um fim Excelsior caiu do palco.No outro dia ele se sentiu glorioso.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Nybia Lohanny

avatar

Mensagens : 7
Data de inscrição : 11/11/2014

MensagemAssunto: Re: Pirlimpsiquice   Qui Nov 20, 2014 2:40 pm

No dia da apresentação, Ataualpa, o menino que representaria o papel mais importante tem que viajar às pressas, pois seu pai está morrendo. O ponto, por conhecer todas as falas das personagens, é chamado para substituí-lo. Quando já está na frente do palco, o menino lembra de que deveria começar com um poema que falava na "Virgem Padroeira e na Pátria!, mas este poema era conhecido apenas por Ataualpa. Diante do silêncio do menino em cena, o público ri. Por fim, diz trêmulo: "-Viva a Virgem e viva a Pátria". Mandam abaixar as cortinas do palco, mas elas não descem. Entram as crianças para a próxima cena, mas assustados não falam nenhuma palavra. Como conseqüência, todos começaram a vaiar. No meio da confusão, Zé Boné, começa a representar; só que não a história prevista, mas uma outra, inventada por um colega com quem os atores tinham rixas. A partir daí, os meninos passam a improvisar e conquistam o respeito da platéia que os aplaude.
A história vai se tornando tão envolvente que eles não percebem que tem chegar ao fim.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Felipe Arruda



Mensagens : 7
Data de inscrição : 11/11/2014

MensagemAssunto: Re: Pirlimpsiquice   Qui Nov 20, 2014 3:05 pm

No dia da apresentação o pai de Ataualpa ficou doente, sendo assim, teve que deixar o teatro para viajar para ver o pai. Para iniciar, ele ele devia devia recitar o poema "Virgem Padroeira e na Pátria". As cortinas não descem. Entra para a próxima cena mas ele trava completamente. Todos vaiam. Então, Zé Boné começou a encenar a estoria que eles haviam inventado, todos começaram a imitar e a encenar. A estoria não tinha começo nem fim, então para termina-la Excelsior caiu do palco. No outro dia foi visto como glorioso.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Michelly Arruda



Mensagens : 7
Data de inscrição : 10/11/2014

MensagemAssunto: Re: Pirlimpsiquice   Qui Nov 20, 2014 3:15 pm

Logo no dia esperado, Ataualpa teve que viajar as pressas. Para substitui-lo só podia ser quem soubesse todos os papeis. A abertura ia ser com uns versos por Ataualpa, mas o substituto não sabia, como ficou parado, sem saber o que fazer a plateia caiu em risos e os panos não abaixava, tendo certa confusão, o que levou as vaias. Até que Zé Boné toma frente com uma história que foi inventada, o que levou a mudança da reação da plateia, que até gritavam bis. Por fim saindo glorioso.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Cecilia Lopes

avatar

Mensagens : 7
Data de inscrição : 11/11/2014

MensagemAssunto: Re: Pirlimpsiquice   Qui Nov 20, 2014 3:17 pm

Como o garoto que iria apresentar não pode comparecer, foi substituído. Porem o substituto não conseguiu lembrar sua fala e ainda por cima a cortina não se fechava para prosseguir a peca, fazendo com que toda a plateia caísse na risada.Zé Boné então entra em cena e começa a encenar, só que não era a mesma historia e sim uma outra que havia sido inventada por seu colega Gamboa. Com isso todos os outros começam improvisar e ganham o carinho e admiração de toda a plateia.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Fernanda Andrade



Mensagens : 7
Data de inscrição : 12/11/2014

MensagemAssunto: Re: Pirlimpsiquice   Qui Nov 20, 2014 3:25 pm

Chegou o dia da apresentação da peça, mas um imprevisto aconteceu. Ataualpa teve que viajar, pois seu pai estava muito mal. E ele era responsável por uma das partes mais importantes do drama. Quem o substituiu foi o narrador do conto, mas este não sabia o que fazer, pois só o amigo sabia a fala, e longe dali ele estava. Então vaias monstruosas surgem na plateia. O inesperado acontece, Zé boné que tinha um papel sem fala, surge no palco e começa a encenar sua peça inventada. Vendo que a loucura de Zé tinha desencadeado muitos aplausos, os demais atores começaram a contracenar, cada um inventando o que falar. E a peça se alimentava de aplausos e mais aplausos. No entanto, surge um problema. Como terminariam aquela peça? Depois de pensar, o narrador resolveu o que faria, chegando cada vez mais perto da beirada do palco, resolveu cair para aquilo terminar. E a peça terminou.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Kennedy Oliveira



Mensagens : 7
Data de inscrição : 17/11/2014

MensagemAssunto: Re: Pirlimpsiquice   Qui Nov 20, 2014 3:39 pm

Justamente no dia da apresentação,Ataualpa teve que viajar as pressas pois seu pai estava muito mau. Assim ele teria que ser substituído por alguém que soubesse todas as falas, mas quando chega a hora do substituto recitar o poema "Virgem Padroeira e na Pátria" o menino fica parado (já que o único que sabia recitar o poema era Ataualpa. Diante de tamanho silêncio o público vaia, na hora das cortinas se fecharem para que a peça pudesse continuar, as cortinas n se fecham, fazendo com que a platéia caia na risada. Então Zé Boné entra no palco e começa a encenar uma história inventada, então todas as crianças aderiram a cena o que arrancou aplausos da platéia, como a história parecia não acabar, Excelsior caiu do palco para terminá-la, e assim foram vistos como gloriosos
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Marcos Ferreira

avatar

Mensagens : 6
Data de inscrição : 20/11/2014
Idade : 21

MensagemAssunto: Re: Pirlimpsiquice   Qui Nov 20, 2014 3:47 pm

Ao chegar o dia em que a apresentação do pai de Ataualpa ficou doente, sendo assim, teve de deixar o teatro para fazer uma viajem para ver o pai. Para iniciar, ele devia recitar o poema "Virgem Padroeira e na Pátria". Só que as cortinas não desceram. Entra para a próxima cena mas ele travou completamente. Todos o vaiaram. Com isso, Zé Boné começou a encenar a estoria que eles haviam inventado, todos ali começaram a imitar e a encenar. A estoria não tinha começo nem fim, com isso para termina-la Excelsior caiu do palco. No dia seguinte foi visto como um o Glorioso.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Fábio Alexandre

avatar

Mensagens : 7
Data de inscrição : 11/11/2014

MensagemAssunto: Re: Pirlimpsiquice   Qui Nov 20, 2014 3:49 pm

No dia da apresentação, Ataualpa, o menino que representaria o papel mais importante - o Dr. Famoso - tem de viajar às pressas, pois seu pai está à morte. O ponto, por conhecer todas as falas das personagens, é escalado para substituí-lo. Quando já está frente ao público, o menino se dá conta de que deveria iniciar com a declamação de um poema que falava na "Virgem Padroeira e na Pátria!, mas este era conhecido somente por Ataualpa. Diante da hesitação e do silêncio do menino em cena, o público ri. Este, por fim, diz trêmulo: "-Viva a Virgem e viva a Pátria". Porém a confusão não para aí. Mandam abaixar as cortinas do palco, mas elas não descem. Entram as crianças para a próxima cena, mas "apalermados" não proferem palavra. Como consequência: "-A vaia, que ninguém imaginava. O que era um mar - patuléia, todos em mios, zurros, urros, assobios: pateada. A gente, nada". No meio da confusão, Zé Boné, um que "regulava de papalvo (indivíduo simplório, pateta) começa a representar; só que não a história prevista, mas uma outra, inventada por um colega - Gamboa - com quem os atores tinham rixas. A partir daí, os meninos passam a improvisar e conquistam o respeito da plateia que os aplaude.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Arthur Ferreira



Mensagens : 7
Data de inscrição : 20/11/2014

MensagemAssunto: Re: Pirlimpsiquice   Qui Nov 20, 2014 4:01 pm

No dia da apresentação atualpa, que fazia o papel principal da peça teve que viajar para ver seu pai que estava muito doente, por isso alguém teria que substitui-lo. O único menino que sabia todas as falas foi escolhido para a apresentação, porém ao chegar no palco ficou imoveu e não recitou uma frase sequer, o publico diante do silencio o vaiou! Com isso Zé Boné tomou iniciativa e começou a encenar a historia que ele havia inventado, todas as crianças se juntaram a ele e todos gostaram e aplaudiram, como a historia não tinha começo nem fim, Excelso caiu do palco!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Bárbara Machado



Mensagens : 7
Data de inscrição : 12/11/2014

MensagemAssunto: Re: Pirlimpsiquice   Qui Nov 20, 2014 4:02 pm

No dia da apresentação o pai de Ataualpa, que seria o protagonista, adoece e em seu lugar fica "o ponto" por saber todas as falas de todos os personagens. Porém, ao abrir as cortinas o narrador-personagem percebe que não sabia os versos que iniciavam o teatro. Em meio a vaias e confusões Zé Boné entra em cena e surpreende a platéia ao representar não a peça planejada, mas a inventada por Gamboa. Todos os garotos começam a improvisar e a peça se envolvem completamente com a trama.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Beatriz santana



Mensagens : 7
Data de inscrição : 10/11/2014

MensagemAssunto: Re: Pirlimpsiquice   Qui Nov 20, 2014 4:24 pm

No dia marcado para ser a apresentação, Ataualpa, que representava o papel do Dr.Famoso , tem de viajar as pressas, pois seu pai estava morrendo. Então , ponto , por saber todas as falas dos personagens, o substitui, mas se da conta de que deveria iniciar com uma declaração de um poema que só Ataualpa sabia. Sem o que fazer, diz: “viva a virgem e viva a Pátria”. Mais não param por ai, pois mandam abaixar as cortinas, mais elas não descem. Propõe ir para a próxima cena, mais as crianças esquecem totalmente suas falas, provocando risadas e vaias do publico. No meio de toda confusão, Zé boné aparece e começa a contar uma nova história, inventado por Gamboa. Todos começam a improvisar e a platéia começa a gostar. Mais com tanto improviso, não chegava um final. Então Zé boné decide das uma cambalhota de propósito e cair. Perde os sentidos e a peça é interrompida.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Milene G



Mensagens : 7
Data de inscrição : 12/11/2014

MensagemAssunto: Re: Pirlimpsiquice   Qui Nov 20, 2014 4:55 pm

No dia da apresentação Ataualpa que seria o protagonista da peça teve que viajar para ver seu pai que estava morrendo. O escolhido para substituí-lo é um garoto que sabia de todas as falas dos personagens. A confusão se inicia quando o garoto não sabia como começar a peça com a declaração de um poema e pedindo para descerem as cortinas que não descem. Para uma maior vergonha, os garotos esquecem de suas falas acarretando uma multidão de risadas e vaias do público. Zé Boné então surge e começa a contar uma história inventada por Gamboa. Com isso, o restante inicia-se uma peça completamente improvisada sendo de agrado do público. Mas não sabiam como terminariam a história, então Excelsior deu uma cambalhota do palco, e, na noite seguinte, descobre que a peça foi gloriosa!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Ingrid Nataly Tavares



Mensagens : 7
Data de inscrição : 11/11/2014

MensagemAssunto: Re: Pirlimpsiquice   Qui Nov 20, 2014 4:57 pm

No dia da apresentação de teatro Altaulpa o principal personagem teve que viajar para ficar com o pai que esta morrendo, entao o ponto o substitui pois sabia de todas as falas. A peça começa e ponto se pôs a frente do palco, entretanto se lembra que nessa hora deveria declarar um poema, mas so Altaulpa o sabia. Então ponto fica em silêncio a platéia começa a vaiar e ele solta um grito: Viva a virgem e viva a pátria. A plateia aplaude, nessa hora as cortinas deveriam se fechar para começar outra cena, mas a cortina trava e não fecha, os próximos personagens entram no palco desordenados sem saber o que fazer e ficam todos em silêncio. A plateia começa a vaiar muito e chamar por Zé Bone, ele espontâneo assume a frente do palco e começa a contar a história inventada pelos Gamboas que eram rivais dos personagens, e assim todos os personagens entraram no ritmo e improvisaram. A platéia agora aplaudia encontada com tanta expôntanidade nunca vista antes e talvez nunca mais em uma peça de teatro. Os personagens se empolgaram com a história que nem estavam se lembrando do fim, entao ponto para acabar a encenação pulou do palco propositaldamente assim enterropeu a peça. No dia seguinte todos os persogens foram muito elogiados e ponto se sentia orgulhoso.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Letícia Evelyn



Mensagens : 7
Data de inscrição : 19/11/2014

MensagemAssunto: Re: Pirlimpsiquice   Qui Nov 20, 2014 5:31 pm

No dia da apresentação da peça, ocorreu um imprevisto e Altaulpa teve que viajar, pois seu pai estava passando mal. O garoto foi substituído, porém o outro não soube falar e a cortina não se fechava, e isso tudo fez com que a platéia vaiasse e chamasse Zé Bone. Zé Bone entra em cena e encena a história que haviam inventado para que a verdadeira não fosse descoberta. Os outros participantes da peça começaram a ajudar Zé Bone e a encenar a história inventada junto com ele. Assim a plateia gostou muito.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Bruno Peixoto

avatar

Mensagens : 7
Data de inscrição : 17/11/2014

MensagemAssunto: Re: Pirlimpsiquice   Qui Nov 20, 2014 6:28 pm

Chega o grande dia da apresentação da peça e o pai do personagem principal está para morrer e ele precisa viajar rapidamente para visitar o pai, então o papel principal fica com o ponto. Então ele vai a frente do publico, e se lembra que deveria declarar um poema que apenas Altalpa (antes personagem principal) o sabia. Então ponto sem saber o que falar, fica em silêncio, e a plateia começa a vaiar, logo em seguida ele solta um grito ''viva a virgem e viva a Pátria'' a plateia começa a aplaudir, na hora dele deixar o palco para entrar outra cena a cortina deveria se fechar, mas ela tinha estragado, então a plateia novamente começa a vaiar e a chamar por Zé Boné, que toma conta do palco, sem saber o que fazer, e todos os demais personagens o seguem, improvisando uma historia que não tinha nexo, a plateia novamente aplaude todos os personagens, mas os mesmos, esqueceram do fim da peça. Daí ponto se joga do palco por conta própria, para interromper a peça. No outro dia, os personagens estavam sendo muito elogiados e ponto se sentindo orgulhoso.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Paula Mendes



Mensagens : 7
Data de inscrição : 19/11/2014

MensagemAssunto: Re: Pirlimpsiquice   Qui Nov 20, 2014 6:46 pm

No dia da apresentaçao , Ataualpa precisa viajar as pressas devido a doença de seu pai . Sendo assim eles escolhem alguem que sabia todas as falas , mas tal escolhido nao sabe recitar o poema . A plateia entao nota oque esta acontecendo e começa vaiar , gritando por Ze Bone , ele assume o palco e improvisa toda uma historia , que deixa a platéia impressionada com tanta criatividade . A felicidade e o entusiasmo dos atores , acabam fazendo eles se esquecerem do fim , levando um ator a pular do palco . No outro dia todos ficam orgulhosos e felizes com o trabalho .
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Letícia Mendes Fagundes



Mensagens : 7
Data de inscrição : 19/11/2014

MensagemAssunto: Re: Pirlimpsiquice   Qui Nov 20, 2014 6:52 pm

No dia da apresentação, ocorreu um imprevisto com Ataualpa, ele que era um dos mais importantes na peça teve que viajar pois seu pai estava muito doente. Arrumaram um substituto, mas este não sabia toda a fala, só um amigo de Ataualpa sabia mas ele estava longe. Quem assistia a peça começou a vaiar, mas daí surge Zé Boné e começa a falar sua peça que ele acabara de inventar. Como a platéia respondeu com aplausos a encenação improvisada dele os outros atores começaram a inventar também. A peça foi um sucesso, mas não sabiam como terminar, então Excelsior foi se aproximando da beirada do palco, deu uma cambalhota proposital e caiu. Então assim acabou a peça.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
vander



Mensagens : 7
Data de inscrição : 20/11/2014

MensagemAssunto: Re: Pirlimpsiquice   Qui Nov 20, 2014 7:12 pm

No dia mais esperado,Altaulpa teve que viajar urgente ,pois teve a noticia que seu pai estava doente.Para substitui-lo só podia ser quem soubesse todos os papeis ,prontos para apresentar. Mas como no comeco era umas falas de Altaulpa,seu substituto n sabia o que fazer e ficou congelado ali parado. Todos vaiam assim então, Zé Boné começou a encenar a estoria que eles haviam inventado, todos começaram a imitar e a encenar. A estoria não tinha começo nem fim,no termino do teatro,Excelsior caiu do palco.Dia seguinte todos os personagens foram bem elogiados,assim deixando-os orgulhosos.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Leandro Roger



Mensagens : 7
Data de inscrição : 20/11/2014

MensagemAssunto: Re: Pirlimpsiquice   Qui Nov 20, 2014 7:18 pm

O pai de Ataualpa estava muito doente, então ele teve que viajar, mas nesse mesmo dia ele iria apresentar uma peça. Então arrumaram um substituto, porem ele não sabia todas as falas. Os espectadores começaram a vaiar. Zé Boné então inventa uma peça e começa a recita-la. Quando viram que a platéia estava gostando os demais atores começaram a inventar. Todos estavam gostando, mas havia um porem, eles não sabiam como terminar a apresentação, de repente um dos autores faz uma graça no palco e assim termina a apresentação. Que foi muito elogiada.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Bruna Trindade



Mensagens : 7
Data de inscrição : 13/11/2014

MensagemAssunto: Re: Pirlimpsiquice   Qui Nov 20, 2014 7:39 pm

O protagonista, Altaulpa, teve que viajar para ficar com seu pai. Então, seu substituto é um garoto que sabe todas as falas. Mas quando ele sobe no palco, fica em silêncio e a platéia vaia . Então ele solta um grito e agora a pláteia aplaude. As cortinas que deveriam se fechar, travam, e todos ficam sem saber o que fazer. Novamente a platéia vaia e gritar o nome de Zé Boné, que atende ao chamado contando a história inventada por Gamboa, e todos começam a improvisar. Como não sabiam como terminar a história, ele deu uma cambalhota e despencou. No dia seguinte foram tantos elogios que ele sentiu orgulho.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Thaís Pereira Andrade

avatar

Mensagens : 7
Data de inscrição : 13/11/2014
Localização : Minas

MensagemAssunto: Re: Pirlimpsiquice   Qui Nov 20, 2014 7:58 pm

Ataualpa teve que viajar as pressas no dia da apresentação pois seu pai estava morrendo, então teve que ser substituído. Mas a abertura seria com versos, e como o substituto não sabia, ficou parado e a plateia caiu na risada. Além do mais, os panos não se abaixavam, gerando confusão, fazendo com o que houvese vaias. Zé Boné surge com uma história inventada, agradando o público. Todos começaram a imitar e encenar, vistos depois como gloriosos.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Laura Assis



Mensagens : 7
Data de inscrição : 11/11/2014

MensagemAssunto: Re: Pirlimpsiquice   Qui Nov 20, 2014 8:14 pm

No dia marcado para a apresentação Ataualpaque seria o personagem principal da peça teve que ir viajar para ver o pai que estava à beira da morte. Então um garoto que sabia as falas de todos os personagens é escolhido para ser o substituto. Mas ao iniciar a peça o menino percebe que não sabia os versos que iniciavam a peça, entao ele segue no improviso e acaba agradando todo o público .
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Francielly Eduarda

avatar

Mensagens : 7
Data de inscrição : 11/11/2014

MensagemAssunto: Pirlimpsiquice   Qui Nov 20, 2014 8:27 pm

Chegado o grande dia da apresentação, houve um contra tempo e o personagem principal (Altaulpa) teve que viajar as pressas para ficar com seu pai , o qual estava no final de sua vida . O substituto do garoto era outro menino que sabia todas as falas de todos os personagens , porem o menino se embola todo ao tentar começar a peça fazendo com que o publico começasse a critica-lo , deixando o mais nervoso do que já estava . Mesmo o menino tremulo ele consegue dizer uma frase , mas novamente o que era para acontecer não sai como previsto , as cortinas deveriam se fechar porem não se fecham .Então Zé Bone entra no palco e começa a contar uma historia inventada pelos Gamboas , assim todos os personagens entram também nesse improviso , fazendo com que todos da plateia gostassem e os aplaudissem muito , contando se esqueceram do final , então Zé Bone improvisa novamente dando algumas cambalhotas para cair e peder os sentidos . No outro dia todos os participantes da peça foram bastante elogiados .
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Pirlimpsiquice   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Pirlimpsiquice
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 2Ir à página : 1, 2  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Literatura CNEC :: Primeiras Estórias (Guimarães Rosa)-
Ir para: