Literatura CNEC

Fórum destinado à discussão de obras literárias. O objetivo deste fórum, além disso, é substituir a avaliação tradicional, e fomentar reflexões mais profundas.
 
InícioInício  CalendárioCalendário  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-se  

Compartilhe | 
 

 A Confraria dos Espadas - Resenha

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Flávio Machado
Admin
avatar

Mensagens : 86
Data de inscrição : 10/11/2014
Idade : 28

MensagemAssunto: A Confraria dos Espadas - Resenha   Sex Dez 02, 2016 8:53 am

Faça uma resenha crítica de um dos contos da obra "A confraria das Espadas", contendo aproximadamente 15 linhas.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://literaturacnec.forumbrasil.net
Paula Pereira



Mensagens : 28
Data de inscrição : 08/04/2015
Idade : 17

MensagemAssunto: Re: A Confraria dos Espadas - Resenha   Qui Dez 08, 2016 7:03 pm

A Festa
O conto A Festa conta a história da festa de 40 anos de Gabriel Pons, mostrando a saga de Maria Clara Pons para montar uma festa de classe, em que muitos de seus convidados eram famosos ou poderosos, no mundo das artes, da política ou das finanças, mostrando a preocupação que se havia com a aparência, por isso Casemiro, um convidado que era sempre o mais animado, sempre o último a sair das festanças, até brincara que metade do PIB brasileiro estava ali.
Com a comemoração indo muito bem, muitos dos convidados dançavam, Casemiro caiu no chão, às três da madrugada, como ele não levantava, foi chamado o médico que estava no local para examinar o homem, dr. Farah examinou-o e levou aos donos da festa a triste notícia, de que Casemiro, uma pessoa sempre alegre e animada, morrera. O choque veio na hora, mas Maria Clara, pensou em todo seu tempo e dinheiro gastos com o aniversário, além também de tanta preocupação, decidiu-se assim que avisaria a todos sobre o falecimento do convidado, porém continuaria com a festa já que gastara muito, além do que Casemiro adorava festas, e ele deveria ficar na festa até o fim, assim os convidados primeiramente, ficaram acatados, porém aderiram à ideia. Será o que mais acontecerá nesta comemoração ou com o falecido?
Este conto nos mostra a mesquinhez das pessoas, já que quase não se importaram com um homem falecido, e continuam com a festa, por causa de dinheiro e outras causas fúteis.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Guilherme Moreira

avatar

Mensagens : 29
Data de inscrição : 13/04/2015

MensagemAssunto: Re: A Confraria dos Espadas - Resenha   Sex Dez 09, 2016 3:42 pm

A Festa:

O conto "A Festa" presente no livro "A Confraria das Espadas" de Rubem Fonseca , é uma obra que retrata uma mulher querendo fazer a festa "perfeita" de 40 anos ao seu filho, que por sua vez não mostrava-se muito interessado em tal coisa .
Maria Clara Pons , como mãe do aniversariante , queria deixar tudo perfeito em questão de decoração , comidas e bebidas , lista de convidados , seu próprio vestido para a festa , entre outros .
Na parte da decoração , haviam objetos que durariam apenas 24 horas (apenas para a festa) , e também haviam coisas para embelezar a própria casa , no caso para não ser alvo de críticas .Os convidados não poderiam passar dos 50 anos , e teriam que ser de uma boa classe social , sendo rico ou famoso .
Já no horário da festa , ela estava preocupada , pois ainda não havia chegado ninguém , o que não costuma acontecer , até porque normalmente as pessoas chegam mais tarde por algum motivo . A preocupação dela por coisas não muito relevantes pode nos chamar a atenção ao objetivo dela de levar ao seu filho uma boa festa , mesmo ele não se interessando muito.Pode-se sugerir que ela pensava em fazer esta festa para se satisfazer ao invés de seu filho .
Ao final do conto , ocorre-se grandes alvoroços e tragédias bem comuns em contos de Rubem Fonseca e , de alguma forma nos passando alguns valores , diferentes tipos de personalidade e reações das pessoas durante algum ocorrido . Também pode-se dizer que nos mostra o tanto que as pessoas se importam com o jeito que os outros a observam (sua imagem) e não como si próprio realmente gostaria de ser ou agir .


Última edição por Guilherme Moreira em Sex Dez 09, 2016 4:10 pm, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Gabrielle Winkelstroter



Mensagens : 29
Data de inscrição : 11/04/2015

MensagemAssunto: Re: A Confraria dos Espadas - Resenha   Sex Dez 09, 2016 3:50 pm

A Festa:
O conto A Festa, escrito por Rubem Fonseca e publicado no livro A Confraria dos Espadas, é narrado em terceira pessoa, no qual relata a poranduba da grande festa de Gabriel Pons. A história se inicia com Maria Clara, sua esposa, organizando os preparativos para a reunião, demonstrando sua preocupação com cada detalhe. No auge da festa, um de seus convidados, Casemiro, sofre um infarto fulminante. O ocorrido, no entanto, não foi suficiente para interromper a cerimônia, sendo esta, inclusive, considerada uma das mais animadas já realizada na cidade em anos. Ao final da celebração, os convidados se dirigiriam ao enterro, porém, o falecido, que não tinha parentes, contou apenas com duas pessoas para o seu velório.
Em seu texto o autor aborda a futilidade, as falsas relações na sociedade e as distorções da ética e da moral.


Última edição por Gabrielle Winkelstroter em Sex Dez 09, 2016 4:53 pm, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Augusto Vilela



Mensagens : 29
Data de inscrição : 07/04/2015
Idade : 16
Localização : Abaeté-MG

MensagemAssunto: Re: A Confraria dos Espadas - Resenha   Sex Dez 09, 2016 4:30 pm

O conto "A confraria dos espadas", que inspirou o nome livro, acredito eu, diz respeito a um grupo de homens que buscam o prazer sexual. Rubem Fonseca, autor livro, na minha opinião procura explorar uma lado estranho da vida das pessoas, o que pode ser percebido em outros contos. Rubem, em seus contos, descreve situações e conta histórias que fogem um pouco da realidade. Entretanto, nesse conto o autor se refere a algo muito presente em nossa sociedade atual, a perversão por parte dos homens, tanto é que criaram uma confraria cujo próprio nome se refere aos seus órgãos sexuais. O objetivo a ser alcançado pelos membros da confraria é a sensação de prazer sem a ejaculação, o que pode trazer problemas para suas vidas. Rubem publicou seu livro em 1998, os temas trabalhados tanto nesse conto como nos outros ainda fascinam e perturbam as mentes de muitos leitores, pois pelo menos na minha visão, são relativamente pesados, apresentam um conteúdo forte, que leva a várias interpretações por parte de quem se arrisca a entrar na mente insana de Rubem Fonseca.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Getúlio Andrade



Mensagens : 30
Data de inscrição : 07/04/2015
Idade : 16

MensagemAssunto: Re: A Confraria dos Espadas - Resenha   Sex Dez 09, 2016 4:35 pm

A Festa:
O conto monstra todo o trabalho de Maria Clara Pons, para criar um festa da alta sociedade, para o aniversario de seu marido Gabriel Pons, incluindo a escolha do vestido, da ampla decoração, dos alimentos e das bebidas,e por mais importante a escolha dos convidados, chamando principalmente os mais jovens, e apenas convidando as pessoas de mais alta idade se eles forem ícones da sociedade, para que a festa não aparecente ser um "encontro da terceira idade", em resumo:"uma festa que será lembrada por anos".
Durante a festa, que foi dita conter metade do PIB brasileiro presente, aconteceu uma tragedia, a morte de Casemiro, um importante "self-made man" que fizera fortuna trabalhando no ramo de transportes rodoviários e agora controlava um império industrial diversificado, adorador de festas e de bebedeiras; Mas contrariando todas as expectativas dos leitores, Maria, seu marido, e um advogado decidiram continuar a festa, apenas dizendo a todos os presentes que o "festeiro" Casemiro preferiria morrer em uma festa, abarrotada de pessoas em alegria, do que um lugar distante e solitario; De primeiro momento alguns não aderiram a opção, mas depois de instantes e algumas palavras todos já estavam dançando e cantado em volta do corpo do falecido, oferecendo graças ao defunto e ao aniversariante.
Mesmo que tal barbara desculpa foi utilizada, podemos claramente ver que os reais motivos da continuação da festa era o pensamento que não seria elegante retirar um convidado pela porta dos fundos, e o alto valor monetário investido na mesma, até os convidados perceberam, e continuaram a "farra" como se nada tivesse acontecido, tudo claramente feito para não deixar que a festa seja difamada perante a sociedade.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Davi Zaidan



Mensagens : 17
Data de inscrição : 13/04/2015

MensagemAssunto: Re: A Confraria dos Espadas - Resenha   Sex Dez 09, 2016 5:37 pm

O conto A festa que esta inserido no livro "a Confraria dos Espadas" de Rubem Fonseca, a historia começa com Maria Clara esposa de Gabriel Pons, programando uma festa que seria fora do comum, afinal comemorava-se o quadragésimo aniversário de seu marido, Maria cuidou de tudo para que a festa fosse da alta sociedade, incluindo a decoração da casa, o fotografo, o videasta que filmaria a festa, o iluminador, os manobristas para guardar os carros dos convidados nas imediações, os seguranças, as comidas que seriam servidas, as bebidas, enfim tudo.
Na festa havia só gente da classe A, como já era de se esperar Alguns dos convidados haviam chegado de Paris ou de Nova York, naquele dia ou na véspera, e faziam questão de ressaltar isso casualmente. Durante a festa tudo ocorria como deveria ser até a hora em que Casemiro pôs a mão na cabeça e caiu no chão, nesse momento Casemiro morreu. Para não prejudicar a reputação da festa, Maria Clara ordenou que todos continuassem como se nada tivesse acontecido. Nessa passagem, percebe-se claramente que Rubem faz menção ao lado obscuro da mente humana.


Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Alice Castro



Mensagens : 29
Data de inscrição : 11/04/2015
Idade : 16

MensagemAssunto: Re: A Confraria dos Espadas - Resenha   Sex Dez 09, 2016 6:25 pm

Anjos das Marquises
Paiva, durante 30 anos foi um trabalhador exemplar, sempre com a rotina de acordar cedo. Após sua aposentadoria, planejou viajar com a mulher, mas seu desejo foi interrompido pela morte da mesma. Desde então Paiva se tornou um homem solitário e entediado, pois não havia nada que ocupasse seu tempo. Em consequência disso, Paiva resolveu usar o dinheiro de todo o seu esforço, de outra forma. Andando pelas ruas toda manhã, certo dia percebeu que duas pessoas “ajudavam” um desabrigado que estava deitado sob a marquise de um banco. Interessado na situação, Paiva procurou a mulher da ambulância, que recolhia os mendigos. Desde então deixou seu telefone, para que ela retornasse, caso quisesse sua ajuda.
Após a ligação, Paiva foi convocado a comparecer no mesmo local. Ansioso, ele compareceu, e logo foi levado para a sede do trabalho voluntário. Maravilhado com a limpeza do local, e com tamanha higiene, dois enfermeiros o imobilizaram e colocaram em uma maca, aplicando-lhe uma injeção retirando suas córneas e retalhando o seu corpo, que deveria ser levado rapidamente pelo motoqueiro que faria as entregas da "encomenda".
Em seu conto, o autor, Rubem Fonseca procura demonstrar a ingenuidade de algumas pessoas, que acreditam na confiança de outras pessoas. Além disso “Anjos das Marquises” demonstra que não podemos julgar o livro pela capa, sem antes conhecer seu conteúdo.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Thais



Mensagens : 29
Data de inscrição : 13/04/2015

MensagemAssunto: Re: A Confraria dos Espadas - Resenha   Sex Dez 09, 2016 7:55 pm

Anjos das Marquises
O conto Anjos das Marquises, escrito por Rubem Fonseca e publicado no livro "A Confraria das Espadas" relata a vida de Paiva, um homem trabalhador que havia se aposentado recentemente. Após sua aposentadoria, Paiva e sua esposa planejou uma viajem, porém algo inesperado aconteceu, a morte de sua esposa, desde tal tragédia o viúvo ficou solitário e sem planos para o futuro. Paiva por não ter muitas opções de entreterimento, já que não gostava de ler e nem de ver filmes, andava sem destino pelas ruas, encontranto em um de seus passeios duas pessoas que pareciam tentar "reanimar" um homem deitado sob a marquise de uma agência bancária. Tal viúvo se encontrou disposto a ajudar os "anjos das marquises" - nome dado por ele - , e então decidiu sair e procurar as pessoas da ambulância. Certo dia ele os encontrou, e disse que queria ajudar, o grupo de "caridosos" não deu muita atenção logo a princípio, pediu apenas o número de telefone de Paiva para que pudessem entrar em contato. O senhor ficou ansioso esperando para que seu telefone tocasse, o que não aconteceu, então foi novamente procura-los, quando os encontrou novamente falou sobre seu interesse de ajudar, e além disso acrescentou que não tinha esposa e nem parentes o que por algum motivo provocou um certo interesse nos "Anjos das Marquises".
Tal conto demonstra a ganância de algumas pessoas, onde procuram indivíduos que não tenham família ou amigos para que possam mata-los e vender seus orgãos. Mostram também o quanto outras são ingênuas, e que não se pode acreditar em pessoas que não conhecemos.


Última edição por Thais em Sex Dez 09, 2016 8:09 pm, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Virgínia Araújo



Mensagens : 31
Data de inscrição : 13/04/2015

MensagemAssunto: Re: A Confraria dos Espadas - Resenha   Sex Dez 09, 2016 7:57 pm

O conto "A festa", extraído da obra literária A Confraria dos Espadas, de Rubem Fonseca, narra a comemoração dos 40 anos de Gabriel Pons. O conto começa relatando os preparativos da festa pela mulher do aniversariante, Maria Clara Pons, que se preocupa com cada detalhe. Ela é encarregada de olhar o que vai ser servido para os convidados, escolhendo sempre comidas e bebidas finas, mas também "populares", pois na sua opinião, é coisa de pobre que se tornou rico querer ter tudo muito fino. Na decoração, ela não se limita a decorar apenas o local da festa, e sim toda a casa, não esquecendo de não fechar a porta dos cômodos para não passar a impressão que ela está com medo de ser roubada. Troca os arranjos de flores, pois todos já conhecem os antigos; contrata o dj para animar a festa e fazer as pessoas dançarem, entre outros detalhes. Faz um vestido especialmente para a ocasião, e quando chega a hora, ela já está exausta. No auge da festa, um dos convidados, Casemiro, sofre um infarto fulminante. Mas nem isso para a festa, pois consideram que seria o desejo do falecido, que gostava tanto de festas, morrer em uma e ver seus amigos festejarem. Com o que aconteceu no seu velório, o autor mostra que as pessoas se preocupam apenas umas com as outras. Mostra também a futilidade e a preocupação com o pensamento dos outros.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Marina Campos



Mensagens : 30
Data de inscrição : 14/04/2015

MensagemAssunto: O vendedor de seguros    Sex Dez 09, 2016 8:49 pm

Diante os fatos relatos no conto, "O vendedor de seguros", nota-se pontos de grande veracidade negativa atualmente. Como por exemplo, a falta de atenção do marido com a esposa ou vice versa. Deixando sempre (no caso do conto) a parceira de lado, e quando a mesma vai embora, o personagem acaba sentindo falta dela no final. Ou seja, quando perde, dá-se o valor a pessoa. Outro ponto é a forma rápida e ilícita que se tem de ganhar dinheiro. Muitas vezes são extremamente prejudiciais à sociedade. Como no caso o matador de aluguel, que se passava por vendedor de seguro. Acaba ganhando o dinheiro através da morte de terceiros. Lamentável e ao mesmo tempo, real.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Giovanna Soares



Mensagens : 29
Data de inscrição : 13/04/2015

MensagemAssunto: Re: A Confraria dos Espadas - Resenha   Sex Dez 09, 2016 9:25 pm

A festa:
O conto " A festa " escrito por Rubem Fonseca e publicado no livro O confraria das Espadas.
O conto começa retratando os preparativos organizado pela mulher de Gabriel, para o aniversário de 40 anos do marido. Ela preocupava que a festa tivesse tudo do bom e do melhor, comidas e bebidas finas e convidados importantes na sociedade, decora toda a casa e contrata até mesmo Dj para animar a festa!
Com tanta empolgação, ela manda fazer um vestido especialmente para a ocasião, porém, quando chega na hora já está exausta de tanto trabalho para conseguir deixar a festa maravilhosa.
Mas infelizmente, no auge da festa, uma tragédia inesperada acontece, um dos convidados, Casemiro, sofre um infarto fulminante.
Mas, os donos da festa preocupados com o pensamento das pessoas, decidiram convencê-las de que a festa não poderia parar, até mesmo usando argumentos de que morrer em uma festa era um desejo do morto e que o velório seria no outro dia, todos os convidados disseram que iriam, porém, apareceu somente duas pessoas.
O autor quis mostrar a falsidade que ocorre no mundo e também a preocupação das pessoas com que o que os outros pensam.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Amanda Tavares



Mensagens : 29
Data de inscrição : 15/04/2015

MensagemAssunto: Re: A Confraria dos Espadas - Resenha   Sex Dez 09, 2016 9:33 pm

O conto Livre Arbítrio escrito por Rubens Fonseca,presente no livro a Confraria das Espadas,fala de mulheres que morriam de forma suspeita,uma vez que,nas autópsias eram encontrados vestígios de uma mesma substância letal,a polícia desconfiava de assassinato,mas achavam estranho a ausência de sinais de violência e o semblante tranquilo das "vítimas".Tudo foi explicado pelo autor das mortes a uma mulher,qua havia presenciado uma das mortes e notou sua troca de olhares com Salete,uma das garotas que morreu na igreja.
Depois de ler o jornal que falava sobre as mortes misteriosas e a carta sobre livre arbítrio que a garota deixou,o interesse da mulher pelo suposto assassino aumentou.Assim ela resolveu segui-lo até sua casa,perguntar o porteiro o seu nome e passar a escrever cartas,o "assassino" começa a responde-la e ela consegue entender o que realmente acontecia.
Com o conto,o autor procura mostrar que não importa sua condição de saúde ou bem estar,as pessoas têm direito ao livre arbítrio,afinal,cada um tem poder de escolha sobre sua própria vida.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Ana Luísa Mendes

avatar

Mensagens : 29
Data de inscrição : 07/04/2015

MensagemAssunto: Re: A Confraria dos Espadas - Resenha   Sex Dez 09, 2016 10:51 pm

O conto "A Festa", do livro "A Confraria dos Espadas" de Rubem Fonseca é narrado em terceira pessoa e conta a história da festa de quarenta anos de Gabriel Pons, casado com Maria Clara Pons. Esta, estava ligada em todos os detalhes da festa, bebidas, flores (que teriam duração de 24 horas), decoração, DJ, garçons, manobristas, videasta e até mesmo os convidados eram divididos por critérios de juventude, beleza, elegância e idade.
O que com certeza mostra que ela ligava muito pra opinião dos outros e para as futilidades da vida.
Durante a festa, Casemiro, um dos convidados, sofre um infarto fulminante, mas isso não foi relevante o bastante pra festa ser interrompida.
O DJ apenas pausa a música para Maria Clara e Seixas, seu melhor amigo, contarem a todos sobre o ocorrido, alegando ainda que Casemiro iria gostar de ficar na festa pois sempre ficava nelas até o final.
Todos prometeram ir ao enterro, onde apenas só duas pessoas compareceram.
O autor aborda assim, as falsas relações na sociedade e as distorções da ética e da moral.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: A Confraria dos Espadas - Resenha   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
A Confraria dos Espadas - Resenha
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Resenha "Somente o Básico": Star Trek Fleet Captains
» Homenagem Confraria do Serrote e do Ferro de Soldar
» Resenha do Marvel Battle Scenes
» Lord of the Rings - resenha
» Eldritch Horror - resenha mesclada com relato de sessão

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Literatura CNEC :: Confraria dos Espadas (Rubem Fonseca)-
Ir para: